O amor é chama que não se apaga

Meu bem querer

  • Festa
  • Vitória- ES Linda
  • Viva Colombia, Viva o amor
  • Paixão e Amor Preto e Branco
  • Casamento da Prima Rita
  • Tá caindo flor
  • Tim Burton no MIS
  • Sanchos Panchos

 

Carimbó Xamegado

Algo me dizia que eu deveria sair 
para ver à lua e dançar naquele dia.
Tinha uma intuição que no carimbó
eu arranhava alguns passos.
Olhando bem até que eu
não estava tão fora do compasso.
Depois de tanto tentar,
fui dançado por um sorriso largo e simpático,
de longe era tudo o eu que queria,
de perto fiquei despertado.
Sem entrelaçar as pernas
fui chegando sorrateiro,
poderia também não ser compreendido,
mesmo assim tinha que ser cavalheiro.
Nas aquelas alturas meus sentidos já estavam dominados, 
eu tinha que agir , sonhar só no travesseiro. 
Querer disfarçar nem por um segundo,
tratei logo de puxar uma prosa.
Que sorte tenho eu, dancei carimbó,
não precisei ir ao Pará e nem gastar dinheiro.
Mas se é que existe o relógio do tempo, ele apareceu,
neste dia não ganhei nem uma bitoca,
quem disse que tinha, jambu ou tapioca.
Mas eu que sou um cabra danado, a minha sorte eu fui buscar,
em sua brasilidade, nos seus traços mestiços, com sua saia florida, ela disse assim: sou descendente dos Tupinambás. 
Naquela hora, antropologia eu nem quis estudar,
ahh mas à sua pele castanha,
esta sim, eu me fiz apaixonar.

SandroCabralCasé

 

Aqui foi o local no qual seu sorriso me despertou: Sesc Pompéia